quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Atualização do Patrimônio Financeiro - Novembro de 2018: R$32.973,22.

Olá soldados do milhão, segue atualização de Novembro, peço desculpas pela ausência da atualização de outubro, deu alguns incidentes que inviabilizaram a postagem em tempo hábil, se eu for fazer uma fórmula: internet sem sinal + blogger fora do ar + um pouco de procrastinação da minha parte. Mas estas coisas negativas não atingiram meus ganhos, que me são satisfatório.  

Ações:




Em dois meses houve valorização em 12% do percentual da minha carteira, ótimo se não excelente, única desfavorecimento é péssimo resultado trimestral da OIBR4, fechou com prejuízo em 1,3 foderosos bilhões, resultado este que colaborou para maior queda do preço da ação, R$1,36 atualmente. Porém, como já expliquei, o motivo da minha alocação é estratégia, a Oi está em recuperação judicial que finaliza no final do próximo ano, mesmo com esse resultado, mantém o Valor Patrimonial por Ação (VPA) em R$10,60, ou seja, se a empresa vender tudo que tem e pagar suas dívidas, sobrarão 10,60, para cada ação, a ser distribuído aos acionistas, e é isso que estou de olho, terei até a próxima sexta para decidir se aproveito a queda.

Fora a EUCA4, todas outras empresas da minha carteira apresentaram os resultados referentes ao terceiro trimestre de 2018, ao meu julgar, algumas ações estão com seus fundamentos bastante favoráveis para mais aquisições, mesmo após aumento dos seus preços. Se eu pudesse indicar, diria que as cotações BEES, CARD, QGEP e SAPR seriam ótimas para se ter na carteira e que tem muito a oferecerem para quem segue a filosofia "buy and hold", estas empresas mantém uma Margem Líquida acima ou próximo de 20%, um ROE acima da Selic e pouco endividamento, não há problema da empresa contrair dívida mas não pode ficar muito desproporcional ao Patrimônio líquido. Gostaria de adicionar mais três ações em minha carteira, pra ter um total de 15 ações distintas, mas aumentar as cotas das ações já adquiridas não é má ideia, faria os dois mas meu poder de aporte não é dos melhores.

Mútuo:

Como sabem, o investimento que fiz sob forma de empréstimo a um amigo pra iniciar um empreendimento, valor em R$8.000,00, a burocracia é o que impede o início de compra de mercadoria, esse foi um dos principais motivos da minha decisão em disponibilizar esse recurso, pra que adiantasse os registros, infelizmente o objeto de comércio não pode ser explorado sem permissão do Estado, caracterizando crime. Fora isso, a animação e apoio para iniciar as atividades no começo do próximo ano são grandes.

Consolidado:


 

Pra quem tem como meta 1,5% ao mês, estou fechando o ano com uma média de 2% ao mês, no geral dos 18 meses registrados na planilha com sistema de cotas, mantenho a média de 1,6%, quando a realidade se sai melhor que a expectativa não tem como segurar a satisfação, porém, mantenho minha estima inerte, isso porque está totalmente inserido na RV não te dá garantia de nada para os próximos resultados, mas a vida é assim, planejamos o futuro sem a garantia de estarmos vivos até lá. No nível em que estou, arriscar é o sensato.

O abandono da ideia de "compra de carro" e a expectativa do início do "ciclo" de crescimento da bolsa de valores:


Na última postagem relatei que não haveria apostes nos meses seguintes em razão da necessidade da aquisição de um carro usado para servir de transporte em minhas pesquisas, a fim empreender na área rural. Pois é, gostaria de dizer que terei que adiar o plano para "apostar" na "nova era" que está por vir.


Alguma vez já lemos ou ouvimos algo do tipo "quem investisse 10 mil na bolsa em 1950 e deixasse lá valorizando, seria bilionário após o ano 2000", de fato a história trás provas do porquê desse fenômeno, no gráfico acima, as partes selecionadas representam o que chamam de "O grande ciclo da bolsa de valores", que é o momento em que há grande crescimento do mercado, um dos ciclos mais conhecido é o "milagre econômico" (1969 a 1973) na época do regime militar, o PIB crescia em média de 10% ao ano, conjuntamento com queda da inflação.

Por que confiar que o ciclo iniciará?

Se verificarmos a história, medidas tomadas na administração pública tendem a alterar a confiança dos investidores e empreendedores, tanto que podem trazer prejuízos ou benefícios, na época anterior ao Regime Militar, a ameaça comunista deixavam desconfiança dos investidores em relação ao Brasil, com mobilização do Exército que garantiu a "não venezuelização" do país, trouxe a confiança do mercado e consequente ciclo que inspirou a frase "ame-o ou deixe-o". Mas nos anos seguintes os militares, aproveitando da disponibilidade de crédito, emprestaram causando aumento da dívida pública.

Tivemos o ciclo após o Regime, especificamente no Governo Collor, com a abertura do mercado ao exterior e desestatização, baseado nos ideais neoliberais. Por fim, o último ciclo aconteceu no Governo Lula com a valorização e ala dos commodities (matéria-prima).

Após o último ciclo, os escândalos atrás de escândalos de corrupção política, inspirações estatistas no manuseio da economia que gerou déficits em empresas estatais,  trouxeram desconfiança e queda do crescimento. Com a queda da chapa PT após 16 anos consecutivos (no meu entendimento o Temer, sendo vice da Dilma, continuou com o Governo PT), agora com a eleição do Bolsonaro (que pelo menos se diz Liberal) que procura se associar com países que podem nos oferecer bons negócios (EUA, Israel, etc) em vez de prejuízos (Cuba, Venezuela, etc), estamos diante de um provável ciclo de crescimento, onde pequenos se tornarão grandes até o final.

Em resumo, isso é tipo o sonho de Nabucodonosor das vacas gordas que em seguinte são devoradas por vacas magras, logo, durante o crescimento não será momento de consumo, mas sim de investir, porque uma hora ele acaba, iniciando o processo de baixas, melhor exemplo foi do ciclo durante o Governo Lula, muita gente aproveitando o crédito fácil para financiar casa, carro, moto e etc, no fim, todos endividados, quem soube investir está bem.

                              



Abraço do Norte e Boa Sorte.

11 comentários:

  1. Legal, também fiz um post sobre o ciclo de alta da bolsa!

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saber que você também está com isso em mente é um bom presságio, espero que toda blogosfera tome conhecimento desses fatos, os investidores precisam garantir seus lugares nesse "buum" de crescimento que está por vir.

      Obrigado pelo apoio DIL, abraço do norte.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Maravilha será quando essa essas pretensões começarem a se realizar.

      Excluir
  3. Olá RN,

    Muito bom. Sua rentabilidade está excelente.
    Comprar carro só mesmo por necessidade. Para status só para quem tem muita grana.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era por necessidade, só que adiei a necessidade pra ter aporte nesse possível "buum" de crescimento da economia que possivelmente iniciará.

      Abraço do Norte.

      Excluir
  4. Parabéns pela evolução patrimonial, Rei do Norte.
    O ciclo da bolsa é real e virá. Minha percepção é de que já começa agora em 2019. Tomara.
    Vamos seguir aportando.
    Grande abraço.
    www.acumuladorcompulsivo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio, de fato é bom que fiquemos cientes dessa oportunidade e aproveitá-la, porque depois, dificilmente repetirá num intervalo de 10 anos.

      Excluir
  5. Parabéns pela evolução patrimonial
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Parabens pela evolução.
    Fico com inveja branca e chateado pois não estou investindo nessa alta da bolsa, vejo a galera ganhando dinheiro e eu aqui, fodido.
    Pra ficar melhor só faltou falar sobre Hobbies, faculdade, mulheres, compras etc...Eu meio que gosto de acompanhar. Valeu!

    ResponderExcluir